Brasil

GOVERNADORES REPUDIAM CHANTAGEM E PROMETEM AÇÃO CONTRA MARUN

Publicado dia 27/12/2017 às 17h30min
Carlos Marun, indicado por Eduardo Cunha, da prisão, para ser o articulador político do Michel Temer; Marun afirmou que só terão empréstimos da Caixa os governadores que conseguirem votos pela reforma da Previdência;

Os governadores do Nordeste divulgaram uma carta pública, nesta quarta-feira, em que condenam a chantagem de Carlos Marun, indicado por Eduardo Cunha, da prisão, para ser o articulador político do Michel Temer; Marun afirmou que só terão empréstimos da Caixa os governadores que conseguirem votos pela reforma da Previdência; "Se eu fosse presidente, demitiria esse ministro hoje mesmo", disse Camilo Santana, governador do Ceará.

247 - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou nesta quarta-feira (27) uma carta de governadores do Nordeste contra o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (PMDB). "Se eu fosse presidente, demitiria esse ministro hoje mesmo", disse Camilo à rádio Tribuna Band News FM, sobre a pressão do governo Temer para aprovar a reforma da Previdência.

Marun afirmou ontem que governadores interessados em receber recursos federais ou financiamentos junto a bancos públicos terão de ajudar o governo Temer a aprovar a reforma na Previdência.

"Isso é uma vergonha. Resumindo: 'só libero teus empréstimos se orientar seus deputados a votarem a favor da previdência'. Já mandei recado, dizendo que não conte com governador Camilo", afirmou o chefe do Executivo cearense.

A "reciprocidade" pedida pelo ministro de Temer desagradou governadores. Segundo Camilo, os líderes dos estados estão assinando uma carta ao presidente Michel Temer "dizendo que é inadmissível essa forma de fazer política no Brasil".

Camilo lembrou ainda a pressão afeta especialmente governadores cujos estados passam por crise financeira e dependem de ajuda, como o Rio Grande do Norte.

Leia, abaixo, a carta divulgada pelos governadores do Nordeste:

Os governadores do Nordeste vêm manifestar profunda estranheza com declarações atribuídas ao Sr. Carlos Marun, ministro de articulação política. Segundo ele, a prática de atos jurídicos por parte da União seria condicionada a posições políticas dos governadores. Protestamos publicamente contra essa declaração e contra essa possibilidade, e não hesitaremos em promover a responsabilidade política e jurídica dos agentes públicos envolvidos, caso a ameaça se confirme. Vivemos em uma Federação, cláusula pétrea da Constituição, não se admitindo atos arbitrários para extrair alinhamentos políticos, algo possível somente na vigência de ditaduras cruéis. Esperamos que o presidente Michel Temer reoriente os seus auxiliares, a fim de coibir práticas inconstitucionais e criminosas.

Governadores do Nordeste

Fonte: Redação com 247