Direto da Redação

Campina Grande: CHORO, DOR E TRISTEZA! A VIOLÊNCIA NO LUGAR DA EDUCAÇÃO

Publicado dia 31/03/2017 às 09h21min
Assédio Sexual contra a estudante T.C.D. menor de Idade seguido de várias intimidações objetivando o silêncio da vítima;

Dias de tristeza na Escola Estadual Pref. Williams de Souza Arruda localizada no Bairro Cuités na Zona Norte de Campina Grande. A ocorrência de Fatos Lamentáveis resultou na realização de 2 (dois)  Boletins de Ocorrências Prestados Pelos Pais e responsáveis pelas Vítimas somados às denuncias ao Conselho Tutelar, em ambos, os parentes das vítimas clamam por proteção. Duas Adolescentes, ambas, alunas da referida escola que sofreram agressões desferidas pelo inspetor de Alunos cuja função é educar, resolveu agredir e, assediar. O funcionário, contou em parte, com a solidariedade da Gestora da escola. Os fatos denunciados foram os Seguintes:

Assédio Sexual contra a estudante T.C.D. menor de Idade seguido de várias intimidações objetivando o silêncio da vítima;
Agressão Física e Psicológica contra a estudante V. L. N. seguida de intimidações objetivando o silencio da vítima;
Assédio Moral contra diversos funcionários desta instituição.

Os fatos denunciados provocaram profunda indignação das pessoas que formam a comunidade escolar. A “atmosfera” do lugar ficou extremamente tensa a ponto do conselho Tutelar aconselhar as alunas a se ausentarem da escola até a próxima segunda-feira afim de que as mesmas reencontrem o equilíbrio psicológico necessário para voltarem a sentir segurança em atravessar os portões da escola.

Em face a esta triste realidade, fica a indagação: as alunas estarão fadadas a experimentar a escola como um ambiente regado pelo medo, pelo assédio e pela violência? Ou, os fatos já denunciados serão solucionados tendo, neste caso, as adolescentes o reencontro com a felicidade, estampando em seus rostos hoje regados por lágrimas, um sorriso, fruto do encanto provocado pela alegria que a educação deve lhes proporcionar?


Toda a comunidade W.S.A. Clama por Justiça.

Fonte: Folha