Direto da Redação

Defender o impedimento de Temer e Eleições indiretas, tá defendendo a continuidade do golpe

Publicado dia 22/05/2017 às 11h12min
Os trabalhadores e setores organizados da sociedade, podem e devem combater o avanço do golpe.

Defender o impeachment e eleições indiretas, é uma forma disfarçada de defender o golpe. Nos dois casos, o congresso é quem define... O julgamento é político, não jurídico. Em 180 dias o governo golpista, desmonta o estado brasileiro e impõe uma derrota aos trabalhadores.

O golpe não para! Só as ruas impedirão a vontade da mídia golpista. Tá muito claro a estratégia da Globo, junto a setroes representativos da sociedade, a OAB Nacional é um exemplo, quando tem pressa em defender o impeachment do Presidente Temer.

Ora, a JBS elegeu Cunha, presidente do congresso e bancou o golpe. Os congressistas não se importam com um super desgaste em manter o Temer na presidência, já o processo de impedimento é demorado e, muito provavelmente, alguma força oculta surgirá para comprar o voto dá permanência de Temer.

Caso o desgaste seja maior que as propostas, os golpistas, derrubam Temer e vendem o voto para presidente em uma provável eleição indireta. Os golpistas/congressistas, tem como faturar e muito bem nessa crise. Votar pela permanência de Temer. Derrubar a PEC das diretas e eleger o próximo presidente. Os dois últimos casos é muito, muito mais vantajoso e não precisam se expor de forma negativa. A palavra de ordem é: renunciar já! Impeachment é um prêmio.

 

Por Basílio Carneiro

Fonte: Redação