Justiça

PF desencadeia operação para apurar suposto desvio de R$ 6,4 mi na obra da Lagoa

Publicado dia 02/06/2017 às 10h07min
Foram cumpridos dois mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pela 16ª Vara da Justiça Federal, na sede de empresa contratada para executar a obra

A Polícia Federal desencadeou na manhã desta sexta-feira (02) a Operação Irerês, referente a investigação de possíveis irregularidades nos procedimentos licitatórios e na execução de obras na lagoa do Parque Solon de Lucena. O Parque da Lagoa é a grande vitrine da gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), nome que vem sendo postulado para a candidatura ao governo do estado.

A obra foi objeto do contrato celebrado entre a União e o município de João Pessoa. Laudos periciais produzidos pela Polícia Federal constataram um dano total ao erário no valor de R$ 6.402.603,83, a preços de abril de 2017, na execução da mencionada obra.

Foram cumpridos dois mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pela 16ª Vara da Justiça Federal em João Pessoa/PB, na sede de empresa contratada para executar a obra investigada e na residência do responsável por sua administração. O Juízo da 16ª Vara Federal também tornou indisponíveis bens da empresa investigada e proibiu que a Prefeitura Municipal de João Pessoa realize novos pagamentos referentes ao contrato.

A Polícia Federal informou que, uma vez que a ação policial levada a efeito na data de hoje objetiva a coleta de provas e que as investigações continuam, inclusive correndo sob segredo de justiça.

O nome da operação é uma alusão ao Irerê, espécie de marreco que era abundante nas águas da lagoa. Tanto que, até o início do século XX, antes da urbanização do parque, o local era conhecido como “Lagoa dos Irerês”.

Fonte: Redação com blogdogordinho