Justiça

MORO USOU DELAÇÃO DESACREDITADA PELO MPF PARA CONDENAR LULA

Publicado dia 13/07/2017 às 05h58min
Além das motivações políticas, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também teve aberrações jurídicas.

Na ausência de provas que justificassem a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e meio de prisão no caso do triplex do Guarujá, o juiz federal se baseou em uma série de "indícios", incluindo na sentença até uma citação à delação do ex-senador Delcídio do Amaral; fantasiosas, as declarações de Delcídio foram desacreditadas até pelo Ministério Público Federal, que interpretou que o ex-senador citou Lula apenas para conseguir mais vantagens em seu acordo de delação premiada; defesa de Lula afirmou que "o juiz Moro deixou seu viés e sua motivação política claros desde o início até o fim deste processo"

Advogados do petista já encontraram uma série de problemas na sentença, como, por exemplo, a citação da delação de Delcídio do Amaral.

A fala do ex-senador foi desacreditada na terça pelo procurador Ivan Marx, do Ministério Público Federal. Ao pedir o arquivamento de outra investigação contra Lula, Marx alegou que o ex-presidente só foi mencionado porque Delcídio queria benefícios fechar o acordo de colaboração com a Justiça.

Mesmo assim, as declarações fantasiosas de Delcídio constam na decisão de Moro, que condenou Lula a 9 anos e meio de prisão. 

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Fonte: Redação com 247