Mundo

Faltam cem dias para o Fórum Social Mundial na Bahia

Publicado dia 03/12/2017 às 09h48min
Encontro acontece pela 1ª vez em uma cidade do Nordeste; objetivo é debater alternativas para um mundo mais justo e igualitário


Salvador (BA), cidade escolhida para a edição do Fórum Social Mundial de 2018, está a cem dias de transformar-se no centro de debates e espaço de resistências contra todas as formas de dominação e exclusão.

O FMS, que em 2018 acontece entre 13 e 17 de março, é um encontro anual articulado por movimentos sociais, ONGs e pela comunidade civil para discutir e somar forças contra o neoliberalismo, o imperialismo e o combate às desigualdades sociais do mundo pós-moderno.

Em suas edições, pessoas do mundo todo participam de debates abertos e descentralizados, com objetivo de formular alternativas ao padrão econômico e social vigente no mundo.

As inscrições para o encontro ainda não começaram, mas a expectativa da organização é reunir cerca de 150 mil representantes de movimentos sociais e organizações do mundo inteiro.

Só a CUT Nacional pretende levar em torno de 3 mil dirigentes de todas as suas secções.

Entre as temáticas que serão debatidas durante os cinco dias de Fórum, a Assembleia Mundial de Mulheres aguarda mais de trinta mil mulheres de todo o mundo. O intuito é unir, fortalecer e ampliar os esforços mundiais em defesa dos direitos da população feminina.

O principal ponto de convergência de debates e conferências será no Campus Ondina da Universidade Federal da Bahia. No entanto, haverá atividades simultâneas na Arena Fonte Nova, Estádio Roberto Santos (Pituaçu), Teatro Castro Alves, Concha Acústica, entre outros.

A programação prevê ainda ações culturais no Centro Histórico, Praça Castro Alves, Espaço Xisto Bahia e no Palácio Rio Branco.

CUT promove debates sobre o Futuro do Trabalho
Em meio ao desmonte dos direitos trabalhistas pelo governo golpista de Michel Temer e o ataque à aposentadoria proposto pela Reforma Previdenciária, a CUT da Bahia contará com uma grande tenda no Campus de Ondina, Universidade Federal da Bahia (UFBA) para promover debates sobre as condições trabalhistas e novos formatos na relação de trabalho.

A estimativa da CUT local é atrair à tenda 3 mil dirigentes de diversas categorias e de todas as partes do Brasil.

O local também vai promover interação da CUT com os seus sindicatos, federações e confederações, bem como; a articulação com organismos internacionais e parceiros estaduais e federais, com inúmeras atividades que vão contribuir na elaboração do documento final do FSM.

Da Redação da Agência PT de notícias

Fonte: Redação com Agências