Política

Anísio defende desembargador e diz que Efraim Filho "não tem moral nenhuma"

Publicado dia 07/12/2017 às 08h46min
"Efraim Filho não tem moral nenhuma porque já ajudou Michel Temer, por duas vezes, a se livrar de investigações por corrupção. É simplesmente cúmplice de um governo corrupto

O deputado federal Efraim Filho (DEM) foi duramente criticado nesta quarta-feira (6) no Plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba por conta das acusações que proferiu contra o desembargador José Mario Porto. As fortes críticas tiveram início com o pronunciamento do deputado Janduhy Carneiro (POD) que foi aparteado por Anísio Maia (PT) e até mesmo pelo deputado João Henrique (DEM), do mesmo partido que Efraim Filho. 

"Efraim Filho não tem moral nenhuma porque já ajudou Michel Temer, por duas vezes, a se livrar de investigações por corrupção. É simplesmente cúmplice de um governo corrupto, que vem roubando dos pobres para entregar aos mais ricos", afirmou Anísio Maia.
 
O petista lamentou que a imunidade parlamentar seja usada para este tipo de declaração: "Alguém já ouviu Efraim Filho pedindo melhorias do acesso da população aos serviços do Judiciário? A Paraíba conhece José Mario Porto e sabe de sua conduta como magistrado. O que o deputado de Temer precisa é provar as acusações. Se não provar, vai mostrar que é irresponsável, usando a tribuna da Câmara para mentir e agredir pessoas de forma gratuita e de acordo com seus interesses", concluiu
 
Entenda o caso
No último dia 28 o deputado federal Efraim Filho (DEM), durante pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, acusou o desembargador José Ricardo Porto de interferir no processo eleitoral que culminou na cassação do prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena (PSB).
 
O desembargador negou as acusações, afirmando que " o deputado Efraim Morais, de forma deselegante e açodada, busca politizar  o processo em tramitação perante o Poder Judiciário Eleitoral com o objetivo adrede, claro e evidente de tentar intimidar e constranger os membros do TRE/PB, colegiado competente para o  julgamento do recurso interposto pelo senhor Douglas Lucena"

Fonte: Redação com ascom