Home Policial Bolsonarista que ameaçou Lula e ministros do STF de morte tem liberdade...

Bolsonarista que ameaçou Lula e ministros do STF de morte tem liberdade negada e fica em solitária

Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, que desafiou Alexandre de Moraes a prendê-lo depois de fazer ameaças de morte a ministros e políticos, passou por audiência de custódia

Em vídeo, bolsonarista ameaça Lula, Gleisi, Freixo e ministros do STF de morte.
Créditos: Reprodução
RevistaFórum
Por Ivan Longo

O bolsonarista Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, preso na sexta-feira (22) em Belo Horizonte (MG) a mando de Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), teve liberdade negada ao passa por audiência de custódia neste sábado (23).

O “Terapeuta Papo Reto”, como se identifica nas redes, foi encarcerado por fazer ameaças explícitas de morte e de violência física contra a ministros do STF, o ex-presidente Lula (PT), a presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR) e o deputado federal Marcelo Freixo (PSB).

Na audiência de custódia, presidida pelo desembargador Airton Vieira e acompanhada por representante do Ministério Público, o extremista afirmou que não tinha reclamações sobre a conduta dos policiais federais no ato de sua prisão. A audiência de custódia serve, justamente, para verificar possíveis abusos no procedimento.

A defesa de Ivan Pinto informou que vai solicitar à Justiça petições para revogar ou relaxar sua prisão. Ele está preso em uma cela solitária pois, segundo o diretor da penitenciária, o fato do bolsonarista se posicionar contra o uso de drogas nas redes sociais poderia “causar animosidade com os demais presos”.

Desafiou Moraes pouco antes de ser preso
Ivan Pinto desafiou o ministro Alexandre de Moraes a prendê-lo pouco antes da Polícia Federal arrombar a porta de sua casa para cumprir o mandado de prisão.

Em vídeo postado no seu canal do YouTube na manhã de sexta-feira, o “Terapeuta Papo Reto”, como se identifica nas redes sociais, ironiza a repercussão de um outro vídeo que viralizou em que faz ameaças a ministros do STF, ao ex-presidente Lula (PT), a presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR) e ao deputado federal Marcelo Freixo (PSB), e que motivou sua prisão.

Na nova publicação, Ivan Pinto diz que a esquerda “está desesperada” e desafia Moraes a prendê-lo. “Prende minha rola!”, dispara. O bolsonarista foi preso poucas horas depois.

Prisão
A polícia prendeu nesta sexta-feira (22), em Belo Horizonte, o bolsonarista Ivan Rejane Fonte Boa Pinto por ter publicado vídeos nas redes sociais onde faz ameaças de morte contra o ex-presidente Lula (PT), a deputada federal e presidenta do PT Gleisi Hoffmann e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O mandado de prisão foi decretado nesta quarta-feira (20) pelo ministro do STF Alexandre de Moraes após pedido da Policia Federal. Além disso, Moraes expediu um mandado de busca e apreensão na residência de Ivan e determinou o envio de ofício para o Twitter, YouTube e Facebook, e uma intimação ao Telegram, solicitando o bloqueio dos perfis do extremista.

Autointitulado “cidadão de bem”, o homem, de dentro de um carro, faz ameaças explícitas de violência física, desafiando Lula a “botar o pé na rua” para ver “o que nós vamos fazer com você”. “Anda com segurança armado até o talo porque nós da direita vamos começar a caçar vocês”, dispara, afirmando ainda que vai “pendurar” ministros do STF “de cabeça para baixo”.

No despacho em que determinou a prisão do bolsonarista, Moraes destacou que há elementos que “demonstram uma possível organização criminosa que tem por um de seus fins desestabilizar as instituições republicanas, principalmente aquelas que possam contrapor-se de forma constitucionalmente prevista a atos ilegais ou inconstitucionais, como o Supremo Tribunal Federal, utilizando-se de uma rede virtual de apoiadores que atuam, de forma sistemática, para criar ou compartilhar mensagens que tenham por mote final a derrubada da estrutura democrática e o Estado de Direito no Brasil”.

Postagem AnteriorTerroristas bolsonaristas perderam utilidade, foram abandonados pelo chefe e serão presos, diz João Cezar de Castro Rocha
Próxima postagemAnálise Ipec-RJ: Freixo reduz rejeição entre evangélicos, Lula dispara entre mais pobres do Rio