Home Economia Joca Peixoto: A nova cepa do coronavírus e suas finanças pessoais.

Joca Peixoto: A nova cepa do coronavírus e suas finanças pessoais.

“O segredo para atravessar uma crise
é ter um bom plano financeiro
e segui-lo.“
Joca Peixoto – 2021

Fomos surpreendidos ontem com todos os principais noticiários falando com bastante ênfase e preocupação a respeito do surgimento de uma nova cepa do coronavirus no mundo (chamada de Omicron), em especial na África do Sul. É relevante dizer que este país africano tem apenas pouco mais de 24% de sua população vacinada... Pra quem ainda acredita que as vacinas não são necessárias cabe aqui uma reflexão.

Mas, o que isso tem haver com nossas finanças pessoais? Vejam bem, gostem ou não, vivemos cada vez mais num mundo globalizado, com as economias se intercalando entre si, influenciando uma as outras. E o que se passa num país - mesmo distante do nosso – pode sim, interferir na nossa economia, pois pode acontecer um efeito cascata com fechamento de fronteiras, possível lockdown, baixo consumo, etc. Explico a seguir.

Na minha coluna da semana passada falei que devíamos ficar atento e ter um conhecimento básico sobre as noticias econômicas e seus impactos sobre nossas finanças pessoais, lembram?

Pois bem, no mercado financeiro nós, pequenos investidores, somos conhecidos como sardinhas, já os grandes investidores (aqueles que influenciam o mercado) são chamados de baleias.

Explico como funciona: Enquanto eu, uma sardinha invisto, por exemplo, R$ 500,00 por mês, um grande investidor ou um Fundo investe 1 bilhão de dólares por mês! E o que a baleia faz ao primeiro sinal de crise no horizonte? Ele simplesmente se desfaz de suas posições, vende tudo e prefere deixar o dinheiro na conta, isso mesmo, dinheiro na conta. É melhor seu dinheiro render menos que arriscar perder mais com uma crise que ele vislumbra que irá acontecer. E esse movimento puxa os preços e as Bolsas abruptamente para baixo.
Mas o que nós, as sardinhas devemos fazer?

1)  Não se desfaça de suas posições se você tem um bom plano financeiro. Segundo Paulo Conde da Levante Investimentos “As cotações não são reais, são cotações de desespero. As pessoas que são obrigadas a vender nesses dias são investidores alavancados.” Lembre-se: “Preço é o que você paga, valor é o que você leva.” Ou você acha que a nova variante do coronavirus irá quebrar a Petrobras ou o Itaú? Não, não é mesmo!

2)  Tenha uma boa reserva de liquidez rendendo bem. Também falei sobre isso na coluna da semana passada. Porque manter o dinheiro do seu salário parado na conta corrente do seu banco se você pode mantê-lo sem custos de taxas rendendo entre 120 a 150% do CDI enquanto a poupança paga apenas 70% da mesma taxa?  E dependendo do tamanho de sua reserva, você poderá destinar uma parte dela para se posicionar no mercado aproveitando essa Black Friday do mercado financeiro.

3)  Invista em empresas com bons fundamentos. O que você irá encontrar sobre esse tipo de informações na internet não é pouca coisa, seja gratuitamente ou assinando relatórios de investimentos. Quer um exemplo? O Banco do Brasil (criada em1808!) só esse mês suas ações subiram mais de 6,77% e distribuiu de dividendos nos últimos 12 meses 7,18%. Fonte: https://statusinvest.com.br/acoes/bbas3. Para se ter uma idéia, no mesmo período a famigerada poupança, a queridinha da maioria dos brasileiros teve uma rentabilidade negativa de -7,59%. Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/11/10/com-inflacao-de-1067percent-em-12-meses-poupanca-tem-pior-rendimento-real-em-30-anos.ghtml .

Depois não digam que não avisei.

Tire pelo menos trinta minutos por dia para estudar e entender um pouquinho sobre educação financeira e seus efeitos na sua vida e na da sua família. Daqui uns anos você irá se arrepender de não ter começado antes. Mas, a boa notícia é que ainda dá tempo, não importa seu salário, nem sua idade.

Ler essa coluna até aqui já é um pontapé inicial. Parabéns!
A partir de janeiro de 2022, estarei dedicando o último domingo do mês para falar sobre um livro que já tenha lido sobre finanças pessoais, auto-ajuda ou educação financeira e como ele me impactou e influenciou ou não. Será uma pequena resenha como dica de leitura. Combinado? 
    
Lembre-se: Se deu certo comigo dará certo com você também. Adquira esses hábitos prazerosos: Poupar, investir e doar.
Conclusão: Para torna-se verdadeiramente rico e independente financeiramente é preciso pensar e agir como tal.  

Se você gostou desse conteúdo e tem interesse em aprender sobre educação financeira acompanhe nosso canal @bacanainvestir nas redes sociais ou envie uma mensagem para nosso e-mail bacanainvestir@gmail.com.